Fintechs: o que são e como ajudam o seu dia a dia

Postado em por brenda

o que é fintech

Você já deve ter ouvido falar em bancos digitais e fintechs. Nos últimos anos, essas expressões se tornaram comuns nas redes sociais, na mídia e até em rodas de amigos.

Mas o que exatamente são as fintechs? Como operam? É seguro confiar nelas?

Vamos te ajudar a entender melhor esse fenômeno que se tornou popular no mundo todo. Vem com a gente!

O que é uma fintech?

“Fintech” é uma palavra que surgiu da combinação de duas outras: financial (financeiro) e technology (tecnologia). Assim, uma tradução literal do termo seria “tecnologia financeira”. 

Embora isso não esteja errado, as fintechs se tornaram muito mais do que apenas tecnologia financeira ou de um banco digital.

Isso porque as fintechs já nasceram digitais, ao contrário dos bancos, que precisaram passar pela adaptação às novidades e se tornar digitais. Sendo assim, normalmente seus sistemas operacionais são construídos com tecnologias mais avançadas.

Além disso, as fintechs se destacam por cobrar tarifas abaixo dos valores de bancos tradicionais ou até tarifa nenhuma, em alguns casos.

A maioria das empresas desse segmento permite que os clientes controlem os produtos 100%  através de aplicativos, sem nunca precisar pisar em uma agência.

O que as fintechs oferecem?

As fintechs podem oferecer uma ampla variedade de serviços. Você talvez conheça algumas que funcionam quase como um banco online e outras que buscam ajudar com o planejamento financeiro, por exemplo.

Elas podem ser voltadas tanto para pessoas físicas quanto para empresas e demais instituições (pessoas jurídicas).

Alguns dos serviços mais comuns são fornecimento de cartão de crédito, meios de pagamentos, financiamentos, transferência de recursos e seguros. Além disso, algumas fintechs oferecem apoio para gerenciar finanças, entre outras possíveis funções.

Quais as vantagens de uma fintech?

Embora sejam diferentes entre si, cada uma tendo o seu modelo de negócio, as fintechs vieram com a proposta de oferecer soluções financeiras menos burocráticas e mais intuitivas.

Assim, o cliente consegue resolver o que precisa sozinho no seu smartphone e com custos baixos ou inexistentes.

Isso é possível graças à tecnologia que já nasceu junto com esse modelo de empresa. Devido ao fato de não contarem com grandes estruturas físicas, os custos são reduzidos, ao contrário de bancos e outras instituições tradicionais.

Toda fintech é uma startup?

Outro termo que ganhou popularidade nos últimos anos foi “startup”. As startups são modelos de negócios inovadores, apoiados na tecnologia e com baixo custo. Muitas conseguem escalar rapidamente e competir com o mercado tradicional. 

Assim como as fintechs, elas nasceram da ideia de reinventar serviços, desburocratizar processos e baixar os custos. No entanto, as startups ainda podem estar em fase pré-operacional

Já as fintechs são empresas exclusivamente do setor financeiro, que já se desenvolveram atreladas à tecnologia pelos mesmos motivos. Assim, as fintechs podem ser startups ou já ter sido anteriormente.

Fintech x Banco Digital

A diferença mais importante entre as fintechs e os bancos digitais está na legislação. O sistema financeiro brasileiro é regulado pelo Banco Central do Brasil, que trabalha para que as regulações do Sistema Financeiro Nacional (SFN) sejam seguidas.

Para uma empresa ser um banco, digital ou não, é necessário atender a uma série complexa de exigências. As fintechs também são reguladas, porém as regras são mais simples. Além disso, os bancos cumprem, também, com as normas do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB).

Ou seja, um banco digital é uma empresa reconhecida como instituição bancária pelo BC, que oferece serviços bancários online. 

Muitas fintechs que não se categorizam como bancos formam alianças com bancos para viabilizar legalmente as suas operações.

Em suma, nem todo banco digital é uma fintech e nem toda fintech é um banco digital.

As fintechs são seguras?

Como você viu no item anterior, todo o sistema financeiro do Brasil passa por uma série de regras e é fiscalizado. Até mesmo as fintechs, embora de forma diferente dos bancos.

Mas se você quiser se certificar de que uma determinada fintech existe de verdade, você pode consultar o banco de dados do Banco Central. Ainda, é sempre importante analisar bem a proposta da empresa para verificar se tudo está correto.

Leia também: 10 dicas fáceis para economizar

Fintechs no Brasil

As primeiras fintechs surgiram em terras tupiniquins por volta de 2010. Um dos pioneiros na área foi o aplicativo de finanças pessoais GuiaBolso, do setor de consultoria financeira. Desde então, as fintechs têm ganhado espaço no país.

Segundo o relatório anual sobre fintechs no Brasil, o Deep Dive 2019, realizado pela PwC em parceria com a Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs), 22% das fintechs brasileiras têm seu principal produto no segmento de meios de pagamentos

Além disso, outros 21% trabalham com créditos, financiamentos e negociação de dívidas, e 10% operam em bancos digitais.

As demais dividem-se em setores variados como gestão de investimentos e finanças, financiamento coletivo e seguros.

Conheça algumas fintechs

Nubank

Startup brasileira pioneira no segmento de serviços financeiros, atuando como operadora de cartões de crédito, entre outras funções.

Warren

Ajuda o cliente a fazer investimentos a partir de um site ou aplicativo fácil de compreender. Além disso, conta com um consultor virtual que utiliza algoritmos para fazer investimentos de acordo com o perfil do cliente, assim ele não precisa acompanhar o mercado financeiro o tempo todo.

PayPal

Usado principalmente para transferência de dinheiro e pagamentos. Também é possível fazer compras em lojas de comércio eletrônico.

GuiaBolso

Uma plataforma de controle financeiro pessoal. Ao instalar o aplicativo, o usuário deve conectá-lo à sua conta bancária. Assim, é possível conferir histórico de transações, consultar saldo, checar faturas do cartão, entre outros.

Vérios

Oferece serviços de investimentos com robô-advisor. Isso significa que um sistema se encarrega de montar uma carteira inteligente para o investidor levando em conta vários fatores: riscos, rentabilidade, liquidez, diversificação, entre outros.

Simpay

Nós também somos uma fintech! Trabalhamos oferecendo parcelamento de débitos de forma acessível, simples e ágil. Gostamos assim: sem burocracias desnecessárias e com uma plataforma intuitiva.

Veja a Simpay na mídia: Startup oferece pagamento parcelado de contas

Considerações sobre fintechs

As fintechs chegaram para facilitar processos e ajudar a melhorar a saúde financeira de quem tinha dificuldades de entender toda a burocracia imposta por serviços mais tradicionais.

Hoje, no Brasil, existem fintechs oferecendo as mais variadas funcionalidades. Você pode encontrar o que precisa em uma delas ou, até mesmo, utilizar várias para necessidades diferentes.

Não se esqueça de verificar a confiabilidade da fintech escolhida no site do Banco Central e de procurar o máximo de informações disponíveis antes de começar a utilizar. Agora, você já pode usar a tecnologia a seu favor na vida financeira!

Postado por: brenda

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Leia também:
https://somossimpay.com.br/wp-content/uploads/2021/09/foto-blog-simpay-2.pnghttps://somossimpay.com.br/wp-content/uploads/2021/11/foto-blog-simpay.jpghttps://somossimpay.com.br/wp-content/uploads/2021/11/foto-blog-simpay-3.png