O endividamento das famílias brasileiras: saiba mais!

Postado em por henrique

O endividamento das famílias das famílias brasileiras atingiu em agosto de 2020, seu maior patamar em mais de 10 anos, e em termos percentuais, subiu para 67,5%. Isso segundo uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Entre as causas desse endividamento está a crise mundial que se instalou no mundo principalmente devido ao novo Coronavírus.

Entre as principais dívidas, o cartão de crédito é o grande vilão, apontado pelas famílias como o principal tipo de endividamento, em termos percentuais em torno de 76,7%; os carnês ficam em torno de 18%, e o financiamento de veículos em 11,1%.

Hoje, a proporção de consumidores endividados no Brasil é bem elevada. Como você verá em forma de números, a seguir.

Por isso, neste artigo você vai ver sobre as causas do endividamento das famílias brasileiras, bem como sair desse endividamento.

O cenário atual

O cenário atual é pior para as famílias que ganham até 10 salários mínimos, o que alcançou o percentual de 69% em julho de 2020.

Cerca de um terço da renda das famílias está comprometida com as dívidas, um grande percentual desde o ano de 2017.

O tempo médio de endividamento tem se elevado entre as famílias brasileiras, se situando entre 7,4 meses.

Mesmo com esse cenário nada animador, no que diz respeito ao mercado de trabalho, renda e endividamento, alguns fatores que podem favorecer essas famílias são a taxa de juros e uma inflação mais controlada, isso em relação a níveis históricos.

Outro fator positivo para a economia e para as famílias diz respeito aos auxílios emergenciais concedidos pelo governo, o que tem refletido positivamente na taxa de consumo, especialmente, na compra de itens essenciais e pagamento de dívidas em atraso.

Isso aliviou um pouco as famílias brasileiras, mão ainda não é uma solução, como nós sabemos.

Causas do endividamento das famílias brasileiras

Segundo uma nota da CNC, há uma tendência de piora nos indicadores de inadimplência, isso para os próximos meses. As estimativas é que os consumidores encontrem mais dificuldade em pagar suas dívidas.

Para o educador financeiro Sílvio Azevedo, entre as principais causas do endividamento das famílias se deve à falta de sabedoria na hora de gerenciar as finanças, o que ainda é parte da cultura do brasileiro e que precisa ser revisto de forma urgente.

É preciso saber o quanto se ganha, com o que se gasta, quanto se gasta, anotando cada valor despendido, o que não é uma tarefa difícil de ser feita.

As pessoas no Brasil ainda não têm uma cultura de ter uma reserva financeira para se usar em casos mais delicados, como o período de pandemia que os brasileiros vêm enfrentando. Isso dificultou a vida de muitas famílias no Brasil, fazendo com que elas usassem mais o limite do cartão de crédito, bem como obtessem outras formas de financiamento de suas contas.

Entre outras causas de endividamento, estão:

consumo excessivo: sempre que a pessoa gastar mais do que ganha, ela estará endividada. Por isso, é importante analisar também o estilo de vida que está levando e rever seus padrões de gastos.

cheque especial e crédito rotativo: esses dois são grandes vilões no endividamento das famílias brasileiras. Muita gente não se controla ao ter um cartão de crédito.

Tem alguns estudos que mostram que quando se usa cartão de crédito, as pessoas não sentem que estão gastando, por isso, caem na tentação e esquecem que a fatura irá chegar.

O crédito rotativo oferecido pelos bancos é tentador, mas as famílias esquecem que vai chegar o dia que terão que quitar esses endividamentos. Por isso, atenção! Essas dívidas devem ser evitadas a qualquer custo, pois são tidas como os grandes vilões do endividamento.

  • desemprego e redução de renda: neste ano de 2020 o Brasil enfrentou níveis históricos de desemprego, principalmente, devido a pandemia. E, como se sabe, sem renda as pessoas não podem pagar suas dívidas e fazer novos gastos.
  • financiamentos: dentre os gastos das famílias brasileiras temos o comprometimento com o financiamento da casa e carro próprio. O que pode gerar consequências graves, caso não consiga pagar os débitos, levando até a tomada bem, pelo ente que fez o financiamento.

Como reverter esse cenário?

E, mesmo com as incertezas causadas pela pandemia em 2020, as famílias brasileiras mostram resilientes quanto à quitação de suas dívidas.

Entre as providências para sair da inadimplência, recomendamos:

  • ter um curso ou buscar uma consultoria para aprender sobre educação financeira, pois nunca é tarde para aprender sobre isso. O que é muito importante para nossa vida financeira.
  • oferecer maior acesso ao crédito e a custos mais baixos para as pessoas que estão nessas condições desfavoráveis.
  • conceder também maior prazo para o pagamento das dívidas para que elas se organizem e saiam dessa condição.
  • as pessoas precisam repensar suas necessidades do presente, rever seu padrão de consumo e projetar sua vida financeira a longo prazo, de modo a aprenderem a poupar da forma correta, e a ter um planejamento financeiro e a criar metas para conseguir equilibrar suas finanças.
  • além disso, as famílias precisam aprender a ter uma reserva financeira de emergência.

Para alguns especialistas, é preciso que as pessoas aprendem a ter um planejamento de seus gastos mensais, pois há ainda um tipo de consumismo, muitas vezes, exagerado, a maioria das pessoas não planejam suas dívidas e chegam ao final do mês com maiores dívidas.

  • aprender a dizer não para alguns tipos de compras, às vezes, é necessário.
  • analisar e buscar fazer algum tipo de investimento para o futuro. Esses investimentos são que garantem algum patrimônio para nosso futuro.

Concluindo

Neste artigo, você conferiu sobre o endividamento das famílias brasileiras, as causas desse endividamento, bem como sair desse padrão de endividamento.

Agora que você já sabe desses cenários e fatores, você já consegue se programar para não cair nessa armadilha do endividamento. Siga nossas dicas.

E, se este artigo foi útil para você, compartilhe esse artigo com seus amigos.

E, acesse neste site outros artigos como este?

Postado por: henrique

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Leia também: