O que são juros compostos?

Postado em por brenda

o que são juros compostos

Entender sobre juros compostos é fundamental para uma boa saúde financeira. Afinal, eles estão presentes em relações comerciais, compras parceladas a longo prazo, empréstimos, investimentos, empréstimos e mesmo no atraso do pagamento de contas. 

Em alguns casos, os juros podem funcionar a seu favor, mas, em outros, podem ser seus piores inimigos. 

Neste artigo, você vai entender melhor o que é juro composto, como calculá-lo e que cuidados tomar. Confira!

O que são juros compostos?

Os juros compostos são aqueles nos quais os juros do mês são incorporados ao capital. Dessa forma, o valor cresce muito mais rápido do que com juros simples. Ou seja, o regime de capitalização é calculado com base no valor do montante do período anterior, fazendo com que o valor final cresça de maneira exponencial.

É por isso que o regime de juros compostos é muito utilizado no mercado: por oferecer maior rentabilidade financeira. 

Isso pode ser ser tanto um grande problema, quanto uma grande oportunidade. No caso de um investimento, os juros compostos vão render mais dinheiro para você. Mas, no caso de uma dívida, eles podem ser perigosos.

Para que serve?

O objetivo dos juros compostos é remunerar quem concede recursos para serem utilizados por outros, como os investidores. Outro motivo de seu uso é que eles ajudam a cobrir o risco de crédito existente, já que o pagamento pode não acontecer.

A função é aumentar o patrimônio de maneira exponencial. É por isso que o juro composto é tão utilizado no mercado financeiro.

Por que preciso saber disso?

Dados do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo (IBEVAR), projetaram a inadimplência para 2020, segundo o número em percentual de pessoas físicas que atrasam o pagamento de suas contas. As dívidas no Brasil apresentaram um aumento gradativo, de 5,74% no mês de julho; 5,83% em agosto e 5,96% para o mês de setembro.

As principais causas da inadimplência são:

  • redução na renda;
  • perda de emprego;
  • falta de organização e planejamento financeiro.

Embora os dois primeiros fatores estejam relacionados à situação atual do país e possam fugir do seu controle, você pode fazer algo sobre o último.

Uma pesquisa da Confederação Nacional de Comércio revelou que o endividamento dos consumidores cresceu nos oito primeiros meses de 2021. Em agosto, a proporção de famílias com dívidas alcançou novo recorde histórico de 72,9%.

É importante aprender sobre juros compostos para não se enrolar com os pagamentos e acabar nessa estatística.

Além disso, saber lidar com juros compostos na hora de investir pode trazer maiores rendimentos.

Juros simples x juros compostos

Os juros simples aumentam o valor apenas com base na quantia inicial, ao contrário dos juros compostos, que corrigem o valor ao longo do tempo. 

Por exemplo, se os juros cobrados no primeiro mês são de R$10, eles continuarão a ser R$10 durante todo o tempo de pagamento, não importa se for daqui dois ou dez meses.

Em termos matemáticos, a fórmula dos juros simples é: 

Sendo:

M = Montante

C = Capital inicial

i = Taxa de juros aplicada

t = Tempo (duração do investimento)

Guarde essa fórmula na memória por enquanto, pois assim você vai poder compará-la com a fórmula dos juros compostos a seguir.

Como calcular juro composto?

Como vimos, os juros compostos não levam em conta o valor inicial da aplicação para a cobrança da porcentagem, mas sim o valor atual.

A fórmula dos juros compostos é:

Lembre-se de que o montante é sempre a soma do capital com os juros.

Vamos dar um exemplo! Imagine um montante de R$ 1000,00, com juros compostos de 5% ao ano. Após 12 meses, o montante será de R$ 1050,00. No ano seguinte, os 5% incidem sobre os R$ 1050,00 e não sobre o valor inicial. Assim, o saldo seguinte será de R$1.102.

A cada período o valor do rendimento dado pelos juros se torna maior. 

Mas você não precisa ficar quebrando a cabeça com a matemática. Há calculadoras online que podem ajudar, como o simulador de juros compostos do Mobilis e o simulador do Me Poupe.

Como investir?

Muitas pessoas pensam que não têm dinheiro o suficiente para começar a investir. Porém até pequenas quantidades podem render, mesmo que seja com baixo rendimento, como na poupança, por exemplo. Melhor do que deixar o dinheiro parado, né?

Tudo é uma questão de escolher o investimento que melhor funciona de acordo com as suas necessidades e objetivos. E a parte mais importante é simples: começar!

Todos os investimentos disponíveis no mercado financeiro de renda fixa utilizam juros compostos.

Alguns exemplos são:

  • CDB (certificado de depósito bancário);
  • LCI (letra de crédito imobiliário);
  • LCA (Letra de crédito do agronegócio);
  • Tesouro Direto;
  • Poupança.

É importante notar que, embora a poupança também funcione segundo a lógica dos juros compostos, ela só rende mensalmente. Ou seja, caso você retire o dinheiro antes de um mês da aplicação, a rentabilidade será perdida.

Além disso, a bolsa de valores, embora não pague juros diretamente sobre os investimentos (em ações, por exemplo), também oferece retornos compostos. 

Como foi possível notar, os juros compostos afetam diretamente o retorno dos investimentos. Então, é interessante saber analisar a rentabilidade, para entender quanto ou como ela deve interferir na tomada de decisão.

Como avaliar a rentabilidade?

O retorno bruto é dado pela diferença entre o que você recebe no final e o que investiu inicialmente. Simples, certo?

No entanto, para calcular o ganho líquido, você deve descontar taxas, impostos e outros custos. Assim, o resultado deve ser dividido pelo que foi investido inicialmente. 

Depois disso, basta descontar o impacto da inflação. 

A fórmula é a seguinte:

Juro composto: amigo ou inimigo?

Como você percebeu, o juro composto pode ser um grande inimigo, formando uma bola de neve de endividamento.

Portanto, se você estiver com dívidas, procure negociá-las assim que possível antes que os juros compostos tornem o problema cada vez maior. Soluções como a Simpay, por exemplo, já existem para ajudar você a parcelar as suas contas.

Por outro lado, os juros compostos podem ser seus amigos na hora de investir, pois trazem mais rentabilidade. 

No entanto, sempre pesquise antes de investir para ter certeza de que está escolhendo a opção que melhor funciona para você. É importante levar em conta fatores como a liquidez (LINKAR TEXTO SOBRE LIQUIDEZ AQUI), por exemplo.

Pense nos juros compostos com sabedoria e sempre tire suas dúvidas financeiras com fontes confiáveis, seja online ou na vida real!

Postado por: brenda

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Leia também:
https://somossimpay.com.br/wp-content/uploads/2021/10/foto-blog-simpay-5.pnghttps://somossimpay.com.br/wp-content/uploads/2020/08/Captura-de-Tela-2020-08-26-às-23.48.25.pnghttps://somossimpay.com.br/wp-content/uploads/2021/11/boleto-bancario-campos.jpg